Arquitetura esportiva: o guia completo

Vários esportes podem ser praticados em qualquer local, com o mínimo de equipamentos, que é uma de suas principais qualidades. Porém, quando entramos em circuitos profissionais, é necessário ter uma quadra esportiva adequada, que siga os padrões estabelecidos pelas confederações e melhore a qualidade de vida dos Atletas. É aí que entra a arquitetura esportiva.

Apesar de parecer algo simples à primeira vista, o trabalho de um arquiteto esportivo exige bastante especialização. Há muito o que considerar para garantir que o ambiente de prática do esporte seja adequado, tanto para Atletas de alto nível quanto para amadores ou para pessoas que praticam por diversão.

Acompanhe e entenda melhor o que é a arquitetura esportiva, quais são os principais desafios desses projetos e como você pode se qualificar para atuar nessa área.

O que é arquitetura esportiva?

Como o nome diz, é um nicho dentro da profissão voltado para a construção de espaços para a prática de esportes, como quadras, academias e piscinas. Isso se aplica tanto a áreas destinadas a entretenimento quanto a Atletas profissionais, e leva em conta a área ao redor, que impacta o seu aproveitamento.

Esses ambientes podem incluir academias, áreas de lazer, centros aquáticos, espaços de treinamento, clubes, escolas, estádios, ginásios, instalações para campeonatos, piscinas de todos os tipos, pistas de corridas, quadras tradicionais e quadras de Areia. A escala e a natureza de cada projeto vão depender dos esportes que serão praticados e dos recursos disponíveis.

Quais são os principais desafios da arquitetura esportiva?

Projetar ambientes para a prática de esportes vem com suas peculiaridades e desafios. Estar atento a esses detalhes é o que define a especialidade do arquiteto esportivo. Veja, aqui, alguns dos principais desafios que você pode encontrar.

Acústica

Uma das questões que afetam a prática do esporte, mesmo que não seja tão óbvio, é a acústica. Durante um treino ou uma partida, o som dos Atletas se movendo, por exemplo, pode atrapalhar a concentração se for muito agudo, o que impacta a qualidade de vida de quem usa esse espaço.

Enquanto alguns esportes e ambientes de treino exigem comunicação clara entre os Atletas, outros demandam mais silêncio. Academias, por exemplo, são conhecidas por sua alta poluição sonora. Ao elaborar o projeto, é necessário levar em conta como o ambiente propaga o som, para que todos os presentes tenham maior conforto.

Conforto térmico

Outro aspecto da arquitetura esportiva, talvez até o mais importante, é o controle térmico dentro do ambiente. Atividade física intensa aumenta a temperatura do corpo, o que fica bem mais desconfortável se o local já for muito quente. Por isso que bons projetos para áreas esportivas são feitos pensando, também, no conforto térmico.

Há casos em que uma temperatura um pouco mais alta pode ser o adequado. Em esportes de piscina, por exemplo, os Atletas passam uma boa parte do tempo na água. Se saíssem dela para uma área com temperatura muito baixa, então, haveria um risco elevado de contraírem doenças, ter uma baixa de imunidade ou outras complicações de saúde.

Escolha dos materiais

Claro, não podemos nos esquecer de como as escolhas dos materiais também afetam a qualidade do ambiente. Piso cerâmico, isolamento acústico nas paredes, polímeros, entre outros, podem modificar bastante a forma como certos esportes ou outras atividades físicas são praticados.

Da mesma forma, cada material tem seus prós e contras, os quais devem ser levados em conta durante a elaboração do projeto. Para escolher os materiais certos, o mais importante é conhecer as necessidades de cada espaço. Mesmo trabalhando dentro das limitações de orçamento do projeto, você deve ter algumas opções à sua disposição.

Quais qualificações são necessárias para atuar como arquiteto esportivo?

Se você já tem formação como arquiteto, pode começar a atuar em arquitetura esportiva. Existem cursos de especialização sobre o tema, que entram em mais detalhes sobre o processo de desenvolvimento desses projetos, os materiais usados e quais são as normas mais relevantes.

Como se tornar um profissional na área de arquitetura esportiva?

Projetar espaços para a prática de esportes envolve vários conhecimentos e tem seus próprios desafios. Mas não significa que eles sejam impossíveis de lidar. Veja, aqui, algumas dicas para atuar como arquiteto esportivo.

Estude as necessidades de cada esporte

Além do conhecimento técnico de arquitetura, dos materiais usados e da logística da construção, também é necessário pensar nas particularidades de cada esporte. Dependendo do tipo de movimentação que será realizada, ou se há normas específicas para a sua construção, é necessário adaptar o projeto.

Por exemplo, você precisa saber as características de uma quadra de Areia antes de iniciar o trabalho. Também, se há especificações em relação ao tamanho, o tipo de Areia, componentes, entre outras coisas do tipo. Quanto mais claro for o seu entendimento, mais eficaz será o seu projeto.

Avalie diferentes projetos

Outro caminho para se tornar um melhor arquiteto esportivo é estudar outros projetos que são reconhecidos. Analisar a planta de diferentes quadras, academias e centros de treinamento que são bem avaliados e bastante utilizados vai dar um ponto de referência para desenvolver os seus.

Você não precisa, necessariamente, basear-se em exemplos grandes. Pode partir dos fundamentos sobre a construção de espaços esportivos e usá-los para analisar diferentes plantas. Com o tempo, você entenderá os motivos de que certas decisões são tomadas.

Conheça os materiais usados e seus propósitos

Uma das bases para qualquer projeto arquitetônico é a escolha do melhor material. Afinal, isso afeta diversos aspectos do ambiente, desde a segurança na prática de certos esportes até o conforto de quem utiliza o espaço.

O mesmo tipo de projeto pode passar por mudanças consideráveis, dependendo do material usado. Por isso que é recomendado estudá-los a fundo e entender suas particularidades.

A arquitetura esportiva é um campo bastante relevante em diversos ambientes. Seja nos centros de treino usados para preparar Atletas profissionais, seja na criação de espaços de entretenimento em escolas e condomínios, seu trabalho é garantir que eles atendam às necessidades desses grupos.

Quer continuar acompanhando mais das nossas dicas? Então, siga-nos no Facebook, Instagram e YouTube, agora mesmo!

Outros conteúdos

equipamentos de beach tennis que não podem faltar no seu clube