Principais regras do vôlei de praia, pontuação e fundamentos!

Regras do vôlei de praia são formas de aprender a “ler” o jogo. Quem está por dentro desses detalhes técnicos consegue ampliar a sua visão sobre cada partida. Com isso, é possível aproveitar melhor como jogador e como expectador.

Ao aprofundar esse conhecimento, você adquire vantagem, pois consegue facilitar a autonomia de entendimento e ação, dentro e fora da quadra. Munido de mais informações sobre o jogo, fica mais oportuno converter amigos, familiares e conhecidos ao esporte.

O resultado pode ser expresso em bons dias de sol, cercado por companhias agradáveis. Imagine conseguir formar um grupo de vôlei de praia. As reuniões semanais, mensais ou bimestrais adicionam mais entusiasmo ao cotidiano. Afinal, como toda modalidade popular e tradicional, quanto mais se aprofunda nos conhecimentos da prática e da teoria, mais interessante se torna o processo.

Além disso, ao se tornar um expert do vôlei de praia, essas habilidades podem facilitar outros aspectos da sua vida. Trabalho em grupo, visão panorâmica e estratégica, corpo mais forte e saudável, fortalecimento de laços: as utilidades do esporte são muitas e podem representar bons privilégios para a sua vida.

Pensando nisso, preparamos este texto com uma seleção simples, rápida e direta das principais informações sobre o vôlei de praia. Após a leitura, você saberá a história do esporte, os princípios e fundamentos, e claro, as regras — composição da equipe, localização dos jogadores, pontuação, quantidade de sets para a vitória, tie-break, bloqueio e saque.

Boa leitura!

História do vôlei de praia

O Brasil é um país que tem 7.491 quilômetros de praia. Nada mais natural e intuitivo do que esperar a criação de uma cultura de mar e sol. Assim, dentre os diferentes contextos, esportes de quadra internos foram adaptados para esportes de Areia.

A tradição do vôlei de praia começa ainda nos anos 1930, época dos primeiros torneios, ainda amadores, pelo Brasil. Especificamente a cidade do Rio de Janeiro recebeu, nas praias de Copacabana e Ipanema, os primeiros movimentos, saques e pontuações do vôlei de praia.

A popularidade do esporte

Se para muitos o esporte é um momento pontual de lazer aos finais de semana, ou em comemorações e feriados, para outras pessoas, isso se tornou uma condição de vida. A prática talvez tenha adquirido tanta popularidade pela facilidade de sua jogabilidade.

As regras, em geral, são simples,e tudo o que se precisa é de uma bola e uma rede. Inclusive, esse último objeto pode ser adaptado e até dispensado, se houver boa vontade e flexibilidade de todos. Além disso, o vôlei de praia, ao lado de esportes como o futevôlei, é uma ótima distração para aproveitar a orla marítima brasileira.

Os marcos temporais do vôlei de praia no Brasil e no mundo

Em 1986, aconteceu a reunião de Atletas de destaque internacional do vôlei de praia. O evento se chamava Hollywood Volley, e contou com práticas em Copacabana, no Rio de Janeiro, e em Santos, no estado de São Paulo. A competição ampliou a divulgação do esporte, sendo motivo de notícia em jornais e revistas.

O resultado disso foi traduzido na oficialização do esporte, pela Federação Internacional de Vôlei (FIVB). Outra data para anotar e comentar com os amigos da importância foi em 1987: o primeiro campeonato mundial, novamente, nos solos cariocas, dessa vez, na praia de Ipanema. Com o sucesso desse torneio, em 1989, foi produzido o Circuito Mundial Masculino (World Champion Series).

Embora o Brasil não tenha se destacado como primeiro lugar no início das competições mundiais, ficando os Estados Unidos com esse posto, com o tempo, esse cenário mudou. Atualmente, o Brasil é uma das lideranças no circuito mundial de vôlei de praia.

Nessa trajetória, em 1992, as mulheres começaram a vivenciar o esporte, com as primeiras competições femininas. O resultado disso foi que, já em 1994, foi criado o primeiro circuito mundial exclusivo para as mulheres.

Também em 1992, o vôlei de praia foi o esporte de exibição das Olimpíadas, em Barcelona, para que, no ano seguinte, a modalidade finalmente entrasse no repertório do evento quadrienal.

A estreia na Olimpíada de Atlanta

Assim, a estreia do vôlei de praia foi na Olimpíada de Atlanta. O Brasil conquistou medalha de ouro, com a dupla Jacqueline e Sandra. Além disso, conseguiu a prata com Monica e Adriana. De outro modo, a dupla Zé Marco e Emanuel ficou em nono lugar, ao lado de Franco e Roberto Lopes.

O cenário positivo para ambos os gêneros ocorreu nas Olimpíadas de Sydney, nos anos 2000, com a quantia de um terço de todas as medalhas conquistadas pelo Brasil nos jogos. Dessa forma, a história brasileira com o esporte mostra o sucesso dele, revelando um posto praticamente definitivo nessa tradição.

O primeiro Campeonato Mundial de Vôlei de Praia no Brasil

Outro marco na história brasileira do esporte foi o ano de 2003, quando o Campeonato Mundial de Vôlei de Praia foi sediado no país. A competição, realizada no Rio de Janeiro, obteve bons resultados para o Brasil.

O ouro foi para a dupla Ricardo Santos e Emanuel Rego, e o bronze, para Márcio Araújo e Benjamin Insfran. Os Estados Unidos ficaram com a prata, para a dupla Dax Holdren e Stein Metzger.

Regras do vôlei de praia

As regras do vôlei de praia, assim como de qualquer outro jogo, são formas de limitar as ações dos jogadores. Isso possibilita a criação de modos singulares de praticar o jogo. Afinal, se tudo fosse liberado, não haveria o bom gosto pela vitória, após conseguir fazer uma pontuação depois de manter a bola no ar por longos segundos.

É válido lembrar que o tamanho da quadra para o vôlei de praia é de 16 x 8 metros. Além disso, para competições oficiais, segundo direcionamento da Federação Internacional de Vôlei (FIVB), é preciso uma zona livre ao redor da quadra.

Logo, essa medida é de pelo menos 5 metros nas laterais, e 6 metros para as linhas de fundo. Ainda, é preciso escolher um dos tipos de Areia corretos e haver nivelamento, tornando-a plana e muito uniforme. A altura da rede, para o masculino, é de 2,43 metros, e para o feminino, 2,24 metros.

Composição da equipe

Pelas regras do vôlei de praia, a equipe é feita de duplas, com jogadores suplentes. No entanto, há também a formação 4 x 4, em que são quatro Atletas de cada lado da quadra e mais dois jogadores suplentes. A substituição é permitida apenas uma vez a cada set.

Ainda sobre a formação 4 x 4, de modo diferente ao que acontece em jogos de duplas, o desvio da bola a cada bloqueio não é considerado um toque da equipe. Isso faz com que o grau de dificuldade do jogo aumente nesses momentos de confronto mais direto, na rede.

Localização da equipe

Cada equipe fica em um lado da quadra. Para o vôlei de praia olímpico, as formações são em dupla. Elas podem se movimentar livremente, com o objetivo de não deixar a bola cair no chão e de atacar a dupla adversária.

Pontuação e quantidade de sets para a vitória

O tempo de cada partida vai depender da pontuação de 21 pontos, com uma vantagem mínima de dois pontos. A dupla vencedora será aquela que fizer dois sets.

Além dos 21 pontos disputados nos sets comuns, o de desempate será de até 15 pontos, também com uma diferença mínima de dois pontos.

Tie-break

O tie-break é o nome do set mais curto, de 15 pontos, que acontece em caso de empate. É por ele que será decidido o vencedor da partida. Lembrando que, pelas regras do vôlei de praia, não há empates. Então, para toda competição, alguém tem que ganhar e outro precisa perder.

Bloqueio

O bloqueio é permitido no vôlei de praia e acontece quando os jogadores se aproximam da rede para tentar parar a bola de ataque da dupla adversária. Dessa forma, ao diminuir a área de ataque da dupla oposta, há mais chances de pontuação.

Saque

Todo circuito de bola é iniciado com um saque no vôlei de praia. Ou seja, após uma das duplas pontuar, a bola retorna para ela e é iniciado um novo circuito, por meio do saque, que mantém a bola no ar até ela cair em algum dos lados.

O saque deve acontecer atrás da linha de fundo. Não é permitido que o integrante que for sacar pise na quadra durante o movimento, que deve atingir a área após a rede.

Há uma seleção inspiradora de casos em que a bola ficou no ar durante muito tempo — o chamado rally. Um exemplo recente foram os incríveis 40 segundos de rally entre Kolinske e Hughes, dupla dos Estados Unidos, e Ariana e Karelys, dupla do Equador, no Mundial de Vôlei de Praia, em 2022.

Outro aspecto importante é que, se um time passa a bola para o campo adversário — por saque, ataque, bloqueio ou outro movimento — para pontuar, é necessário que a bola caia no chão dentro da área adversária. Caso a bola caia fora da linha do campo (sem ter tocado nenhuma pessoa do time), o ponto é marcado contra a sua equipe.

[rock-convert-cta id=”739″]

Penalidades e infrações

Advertência e sanção são os dois tipos de punições previstas nas regras do vôlei de praia. Elas são aplicadas pelo árbitro. A primeira funciona como um aviso, por isso, o nome advertência. A sanção já é, efetivamente, a aplicação de uma limitação para a dupla.

Conduta incorreta, falta e retardamento representam as infrações no vôlei de praia. O primeiro significa um comportamento não amigável e antidesportivo por parte do jogador ou da dupla. Xingamentos e outras atitudes que quebrem a cultura de diálogo, por exemplo.

A punição acontece pelo uso do cartão vermelho ou amarelo. O vermelho significa uma penalidade, e o uso de ambos juntos é expulsão. Se o vermelho e o amarelo forem usados separadamente, significa desqualificação.

De outro modo, a falta é uma ação feita pelos jogadores que rompe as regras do vôlei de praia. Assim, as faltas de uma equipe são punidas com cartões e advertências. Se acontece o chamado retardamento, ação dos integrantes de uma equipe para atrasar o reinício do jogo, há punição com advertência e, se houver repetição, sanções.

A importância da qualidade da Areia para o melhor desempenho no esporte

Você sabia que nem toda Areia é igual? Por mais que algumas tenham muitas semelhanças, há uma série de fatores que separam uma Areia de qualidade e o seu oposto. É válido lembrar que esse material nada mais é do que um conjunto de micropedras, resultado do processo de erosão. Assim, elas podem ter uma origem diferente.

Para uma quadra de Areia, é necessário um material fino, leve, com alta taxa de amortecimento, que não grude na pele e tenha boa absorção de água. Afinal, quando se joga um esporte que exige movimentos rápidos e há, muito facilmente, a possibilidade de quedas, é preciso ter cuidado com a preservação do corpo dos Atletas.

Isso porque se o material tiver pedrinhas um pouco maiores e minimamente cortantes, o resultado pode ser expressado no afastamento do jogador por causa de uma lesão. De outro modo, as condições de jogabilidade são ampliadas se há um bom sistema de drenagem e o tipo de Areia consegue ter uma excelente absorção.

Se você quer ter uma quadra de vôlei de praia, beach tennis ou qualquer outro esporte do tipo perto de você, saiba que a qualidade da Areia é fundamental para garantir a excelência no esporte. Afinal, você já viu a diferença entre usar um tênis de corrida e um sapatênis, mesmo para uma caminhada? Com base nessa comparação, é possível entender que se há condições ideais para desenvolver a prática de um esporte, fica mais facilitada a performance dos jogadores.

Jogar ou assistir a uma prática esportiva pode ser uma atividade ainda mais prazerosa se você tem as informações certas. Isso porque ao aprender as regras do vôlei de praia, por exemplo, é possível “ler” melhor o jogo. Observar determinado tipo de saque e saber da sua dificuldade técnica, associado ao tempo prolongado até a bola cair no chão, torna o jogo mais divertido.

Como vimos, as regras do vôlei determinam a composição da equipe, a localização dos jogadores, a pontuação, a quantidade de sets para a vitória, o tie-break, o bloqueio e o saque. Portanto, são limites que tornam mais claras as estratégias de pontuação.

Você gostou de entender como funciona o vôlei de praia? Então, caso queira, conheça também os 6 principais esportes de Areia e suas vantagens

Outros conteúdos

equipamentos de beach tennis que não podem faltar no seu clube